fbpx

4 Formas Comprovadas para Fazer seu Filho se Interessar pela Escola de Ensino Médio

Educar é preparar para a vida. Disso, pouca gente discorda. No entanto, fazer com que o seu filho entenda o valor da escola na formação dele, sem dúvidas é um desafio. Mas vale muito a pena encarar essa jornada.

Foi pensando nisso que pesquisamos vários autores relacionados aos mais diversos ramos da educação, do autoconhecimento e da psicologia. A partir dessa pesquisa, encontramos 4 formas que definitivamente farão seu filho se interessar pela escola.

1. Participar ativamente da vida escolar do seu filho

Não dá para cobrar algo de alguém sem saber exatamente em que ambiente ela está e como ela pensa. Somente conhecendo bem o seu filho – e isso implica em participar da vida escolar dele – é que você vai poder ter o contexto necessário para agir positivamente em sua vida.

Participar ativamente da vida escolar do seu filho não significa fiscalizar cadernos, mensagens de celular ou qualquer outro método mais ostensivo. Um nível de privacidade e de confiança é fundamental para qualquer relacionamento, mesmo que, diante dos seus filhos, você tenha que exercer um papel de autoridade, até legalmente falando.

Na verdade, participar ativamente da vida escolar do seu filho significa estabelecer pontes seguras de diálogo e troca de vivências. E isso inclui conversar periodicamente com outros pais, dentro e fora da instituição em que filho estuda; falar com professores e diretores; participar de reuniões, eventos e atividades de integração promovidas pela escola; e, finalmente, conversar com o seu filho tentando entender como ele enxerga a escola onde ele estuda e o que ele espera de um futuro próximo.

Um diálogo franco e direto com o seu filho é fundamental. No fim das contas, é ele que importa. Assim, aceite a privacidade do seu filho, mas saiba deixar claro que o seu intuito como pai ou como mãe é o desenvolvimento sadio dele.

É importante entender que  participar da vida escolar do seu filho é uma extensão natural do relacionamento que você nutre com ele. Faça isso com respeito, mas sem deixar que o laço enfraqueça ou tensione. E isso tem muito a ver com a próxima forma de fazer seu filho se interessar pela escola.

2. Estabelecer metas e propósitos

Muita gente já ouviu esse conselho. Você mesmo já deve ter ouvido excessivamente e pode considerar um grande clichê. Entretanto, o que muita gente considera clichê justamente é o que mais deixa de fazer. E é aí que está o problema.

Quem senta, reflete e estabelece metas de curto, médio e longo prazo, sempre é mais bem sucedido do que os demais. E o motivo é bem simples: eles sabem o que querem.

Ninguém tem o mapa do sucesso, mas só de saber o que você mesmo considera como sucesso, já é um largo passo na direção dos seus objetivos.

Portanto, tenha você mesmo os seus próprios objetivos e converse com os seus filhos sobre os dele. Não planeje nada para eles seguirem, mas seja um conselheiro. Aponte os prós e os contras de cada propósito que você identifica que estão partindo dele. Com sinceridade, conduza seu filho para uma vida de decisões. E para cumprir propósitos é preciso…

3. Criar rotinas

Falamos criar rotinas, assim mesmo, no plural, justamente porque sabemos que todas as nossas ações são interligadas. Por exemplo, se você não tem horários fixos para as suas refeições, significa que não tem horários pré-determinados para outras atividades também

Se uma coisa tão importante como a alimentação está fora das suas preocupações, subentende-se que muitas outras coisas também podem estar fora de ordem ou mesmo nebulosas em relação as suas prioridades.

Portanto, estabeleça rotinas. Crie horários para estudar, para se alimentar e para se divertir. Coloque isso como um compromisso coletivo da sua casa. Não comece de maneira repentina. Dê o primeiro passo combinado com todos da casa dizendo que agora todos se preocuparão mais com as refeições e o primeiro passo é o horário.

Após esse primeiro momento de implementação da rotina, parta para outras e vá especificando. Por exemplo: o horário de estudo é de uma hora a qualquer momento do dia ou sempre das 19h às 20h? Cada dia da semana é uma disciplina diferente ou vai de acordo com as matérias do dia?

Especificar rotinas faz com que elas façam mais sentido e que a assimilação seja mais efetiva. Isso porque o ser humano funciona muito bem quando cumpre promessas e mais ainda quando conclui ciclos.

É justamente assim que as rotinas irão ajudar oseu filho apassar e  a se interessar mais pela escola em que estuda. Ele ou ela irá melhorar  o desempenho e ficará muito mais motivado a se levantar todos os dias para cumprir rotinas proveitosas para a própria vida.

4. Ainda dá tempo. Não desista

Este último conselho é muito simples. Nunca é tarde para começar uma mudança de postura. Crianças e jovens em idade escolar têm uma capacidade de desenvolvimento espetacular.

Mesmo os jovens mais indisciplinados podem alcançar altos graus de transformação. Participar mais ativamente da vida escolar do seu filho, ajudá-lo a entender os propósitos que ele busca e criar rotinas são atitudes fundamentais nesse processo de mudança.

No entanto, a principal coisa que você precisa ter em mente é que nunca será tarde para começar a mudança que tanto deseja para a vida do seu filho. Sabemos que mudar não é algo fácil para ninguém, mas com certeza não fazer nada é bem pior.