fbpx

Por que as Escolas Tradicionais de Ensino Médio estão Falhando em Formar Pessoas de Sucesso?

O mundo mudou. Sua forma de pedir táxi mudou, sua forma de conversar com os seus pais mudou, as exigências para conseguir um bom emprego também mudaram. Mas, por mais estranho que isso pareça, a escola em que o seu filho estuda não mudou a forma de educar.

As escolas tradicionais precisam mudar porque as suas metodologias e conteúdos não atendem mais às necessidades atuais. Muitas ainda remetem a tempos medievais, quando a obrigação e até mesmo o castigo físico faziam parte da “metodologia de ensino”. Uma escola inovadora precisa não mais “obrigar” os nossos filhos a estudar, mas “conduzi-los”, aconselhá-los, apontando e encurtando caminhos.

O profissional e a pessoa de sucesso de 2019, 2020, 2025 e por aí vai, é aquela moça ou aquele rapaz que sabe se virar sozinho, é independente, sabe organizar o próprio tempo e tem metas e objetivos de vida bem fixos desde sempre. E quem afirma isso não são apenas os maiores especialistas em educação do Brasil e do mundo, mas, principalmente, quem coloca esse ponto é o mercado de trabalho. E peço atenção ao assunto especialmente para você que tem filhos entrando ou que já estão no Ensino Médio.

Diante disso, uma recente pesquisa encomendada pelo LinkedIn, companhia da Microsoft e a maior plataforma profissional do mundo,concluiu que características pessoais e interpessoais são aquelas que mais definem quem é contratado e quem não é.

A pesquisa analisou milhares de dados dos mais de 500 milhões de perfis no LinkedIn para identificar quais eram as competências mais procuradas pelas empresas de todo o mundo. E de acordo com o resultado desse grande estudo, possuir algumas dessas competências pode garantir um trabalho ou uma promoção no mercado de hoje em dia.

Além disso, a análise incluiu todas as atividades de contratação e recrutamento realizadas no LinkedIn entre janeiro e setembro de 2017 e ainda as competências colocadas pelos usuários da plataforma nos perfis pessoais. A lista com o que você precisa para se posicionar bem no mercado de trabalho foi dividida em hard e soft skills e, como já era de esperar, no que diz respeito às hard skills, as competências tecnológicas foram as mais requisitadas. Aqui trata-se de basicamente de habilidades técnicas, formação e conhecimento em programação e desenvolvimento em computação.

Entretanto, o que mais chama a atenção são as soft skills. A pesquisa do LinkedIn constatou que Liderança, Comunicação, Colaboração e Gestão de Tempo são competências fundamentais para qualquer profissional de 2018.

O estudo apontou que isso é uma constatação clara e só tende a crescer. E é aí que os jovens mais perdem. Isso porque os jovens de hoje em dia, na mesma faixa etária que os seus filhos, têm deficiência principalmente nessas competências. A parte hard eles tiram de letra, afinal nasceram na Era da Informação e sabem tudo do digital. No entanto, falta a toda essa turma que está no Ensino Médio ou está quase entrando nele, principalmente foco, direcionamento e responsabilidade.

Acredito que não estejamos trazendo nenhuma novidade. Porém, são competências que você não vê nenhuma escola ou instituição de ensino usando como diferencial. E é aí que a gente pode vislumbrar uma boa solução: a escola onde seus filhos estudam.

Antes de mais nada, de que tipo de escola estamos falando?

Temos as tradicionais e aquelas que apresentam novos caminhos para a educação, cumprindo o dever de preparar para o ensino superior e para a vida.

O desafio da educação voltado para o futuro é utilizar o potencial que os seus filhos têm a favor deles mesmos. O trabalho é grande, mas já temos várias instituições no país que conduzem nessa direção. E é no futuro dos seus filhos que você deve mirar.